Republica Portuguesa Consulado Honorário de Portugal
P O Box 201 080, Auckland 2150, New Zealand • 20 Verissimo Drive, Mangere [Map]
Tel (09) 255 2569 • Email daniel@silva.co.nz

O Consulado Honorário funciona em regime de voluntariado (sem remuneração ou ajudas de custo) e existe principalmente para servir a comunidade portuguesa da Nova Zelândia.
The Honorary Consulate is a voluntary post (not funded), that exists principally to assist the Portuguese community of New Zealand.

O equipamento de recolha de dados biométricos para passaportes não está em funcionamento em Auckland. Logo que seja possível voltar a renovar passaportes, isso será anunciado neste site. Até lá, a alternativa é fazer o requerimento no Consulado mais próximo, em Sidney. Informação encontra-se nesta página. Em casos de emergência justificados, pode também requerer ao Consulado-geral em Sidney a emissão de um passaporte temporário.

The biometric data collection equipment for passports is not currently functioning in Auckland. As soon as it becomes possible to renew passports again, that will be advertised in this website. Until then, the alternative is to apply to the nearest Consulate, which is in Sydney. Information is on this page. In cases of justified emergency, you can also apply to the Consulate General in Sydney for a temporary passport.

Português   English  
Início   Home
B. Identidade   ID Cards
Passaportes   Passports
Nacionalidade   Nationality
Registo Criminal   Police Clearance
Vistos   Visas
Procurações   Power of Attorney
Recenseamento   Voter Enrolment
Emigração   Migration to NZ
RECENSEAMENTO

Para se recensear na Nova Zelândia, precisa de fazer uma marcação para comparecer em pessoa no Consulado Honorário em Auckland, apresentando o cartão de cidadão ou bilhete de identidade e prova que reside permanentemente na Nova Zelândia (por exemplo fatura de luz, contrato de arrendamento, etc.).  

O recenseamento eleitoral é suspenso durante um período de sessenta dias antes das eleições e recomeça no dia seguinte à data das eleições. O cidadão nacional pode votar por via postal nas eleições em que esse método é permitido, por exemplo as eleições para a Assembleia da República. Para outras eleições, nomeadamente para a Presidência da República, a lei estipula que o voto seja presencial.  

No caso de não ser possível constituir-se uma mesa de voto em Auckland, o voto presencial pode ser feito em Sidney. O Consulado Honorário só pode confirmar essa situação sessenta dias antes das eleições.

Quando um cidadão nacional altera a residência oficial no cartão de cidadão para uma morada no estrangeiro, o recenseamento eleitoral em Portugal é automaticamente cancelado; todavia, o correspondente recenseamento eleitoral no estrangeiro não se segue de forma igualmente automática, carecendo antes de um ato explícito e voluntário do cidadão nesse sentido.  

Quando um cidadão recenseado na Nova Zelândia requer um cartão de cidadão e declara uma morada em Portugal, o posto de recenseamento é automaticamente alterado para a morada declarada. Nesses casos, se deseja continuar a ser recenseado na Nova Zelândia, deve voltar a requerer o recenseamento no Consulado Honorário.  

Não é permitido residir de forma prolongada no estrangeiro e querer fazer uso do procedimento de voto antecipado, simplesmente porque o cartão de cidadão ou bilhete de identidade ainda regista uma morada em Portugal.  

Para mais informação, consulte http://www.cne.pt/faq2/116/3.